regras e registo/waiting list

A Gravosfera é uma proposta de desafio em contexto 'gravel' - percorrido de forma autónoma e sustentado na responsabilidade individual - em que são disponibilizadas 18 rotas, de Norte a Sul de Portugal continental, ao longo de seis meses (30 de Abril a 30 de Outubro de 2022). A Gravosfera não é um evento, prova ou corrida. A conclusão das rotas e a performance corresponde à atribuição de pontos para o Ranking Gravosfera - atualizado semanalmente - que funciona como incentivo para se percorrem, de forma abrangente, os percursos disponibilizados. As rotas 18 foram estudadas, totalmente reconhecidas no terreno e validadas, sendo norteadas por um conjunto de princípios: 

- A bicicleta 'gravel' é um instrumento de aventura híbrido, que assegura um bom equilíbrio entre estrada e off-road. Neste sentido, não nos interessa que as rotas tenham proporções a tender ou próximas dos 100% de superficies 'gravel'. Não forçamos nem confundimos Gravel com MTB/BTT. O intuito é que as rotas sejam equilibradas: fisicamente exigentes, mas emocionalmente prazerosas

- Não obstante, há rotas com troços e sectores mais desafiantes e técnicos que estão no limiar de outras modalidades velocipédicas. Eis a questão: estás disposto/a a 100 metros de hike-a-bike para depois rolares num troço 'gravel' fantástico de 10 quilómetros? Cada escolha, mudança de direção ou via têm um fundamento.

- O nosso background é o ciclismo de aventura e o ultraciclismo sem-suporte. Mesmo as rotas menos extensas, têm uma componente de endurance. Algumas rotas foram pensadas para um dia completo, iniciadas de manhã e concluídas ao final do dia (ou até mesma à noite). Se não tens espírito aventureiro, nem capacidade em lidar com as adversidades, a Gravosfera não é para ti. Tens outras opções aqui e aqui.

percorre as rotas

É simples: para concluíres com sucesso cada rota deves percorrer o respetivo percurso. Se abandonares o percurso definido (engano, abastecimento, descanso, WC...) deves retomá-lo exatamente no mesmo ponto de saída (mesmo que um potencial desvio implicasse uma maior distância). O relógio nunca para: o tempo de desempenho em cada rota é igual à soma entre o tempo em movimento e de paragens. Os ficheiros GPX serão gradual e gratuitamente facultados após o registo na Gravosfera. Tanto podes percorrer apenas uma, como as 18 rotas/desafios, mas quantas mais percorreres mais pontos alcançarás. Após cada aventura, tens 7 dias para carregar a atividade na Gravosfera, utilizando um link do Strava ou do Komoot.

com seguro

Apenas serão aceites os registos na Gravosfera de quem possuir um seguro pessoal de ciclismo que abranja proteção individual e responsabilidade civil. Aconselhamos, o seguro 'individual' proporcionado pela filiação na Federação Portuguesa de Ciclismo. Após o pré-registo nesta página (em baixo), será solicitado um comprovativo de seguro válido para o período do desafio. Também deves minimizar os riscos de acidente ao respeitar as regras de circulação rodoviária e ao tomar as devidas precauções de segurança (capacete, refletores na bike e corpo, iluminação dianteira e traseira, etc).

autonomamente

A Gravosfera é para aventureiro/as. Não precisam de carros de apoio, de suporte de abastecimento ou mecânico concedido por amigos e familiares, entre outros 'mimos'. Deves transportar contigo os teus mantimentos/equipamento e/ou adquiri-los, ao longo do percurso, em estabelecimentos comerciais - ou seja, locais que estão disponíveis para todos os participantes. Não deves procurar obter vantagens aerodinâmicas junto de outros ciclistas e veículos (tal como nos contra-relógios das provas de ciclismo). A 'AUTONOMIA' é uma forma de assegurar, o quanto possível, o princípio da igualdade de circunstâncias e de se promover o esforço individual. Não há maneira de verificar ou controlar se estás a respeitar este princípio (nem queremos fazer de papá/mamã), por isso a palavra chave é 'integridade': és capaz de cumprir um código de honra quando ninguém te está a observar?

só a tua energia

É permitido qualquer tipo de bicicleta/configuração, excepto e-bikes. A tua energia e a gravidade como as únicas forças motoras e de propulsão.

RESPEITA O AMBIENTE

As maioria das rotas da Gravosfera percorrem regiões e áreas remotas e ambientalmente vulneráveis. Não deixes marcas da tua passagem. Sê gentil e cordial com quem te cruzas ao longo do percurso. O teu comportamento afetará a forma como o/as outro/as participantes serão encarado/as, seja para o bem, seja para o mal. Somos uma comunidade que quer deixar um legado positivo.

ranking/sistema pontos

O Ranking e Sistema de Pontos da Gravosfera são aparentemente complexos. Mas aqui tornamos tudo simples. Existe um ranking global e dentro deste há um ranking para cada uma das 18 rotas, em que o somatório das performances 'alimenta' o ranking global. Os pontos são obtidos de duas formas: simplesmente ao concluíres com sucesso uma rota (independentemente do tempo) e pelo posicionamento relativo em cada rota (que considera o tempo). Aqui a pontuação atribuida não é estritamente por ordenação hierárquica, mas por Quartis. Por outras palavras, por divisão em quatro blocos hierarquizados. Considera o seguinte exemplo para uma rota fictícia: 

 Atleta A 120 minutos Quartil 1 15 pontos
 Atleta B 150 minutos Quartil 115 pontos
 Atleta C 160 minutos Quartil 115 pontos
 Atleta D 190 minutos Quartil 210 pontos
 Atleta E 210 minutos Quartil 210 pontos
 Atleta F 300 minutos Quartil 35 pontos
 Atleta G 310 minutos Quartil 35 pontos
 Atleta H 320 minutos Quartil 35 pontos
 Atleta I 350 minutos Quartil 43 pontos
 Atleta J 390 minutos Quartil 43 pontos

O cálculo dos Quartis para este caso, com base no tempo dos 10 atletas, estabeleceu como linhas de corte: os 168, 255 (tempo médio) e 318 minutos. Se um novo atleta ambicionar alcançar a pontuação máxima e chegar ao quartil superior, terá que concluir a rota em menos de 168 minutos. Importa assinalar que estas classificações são dinâmicas: uma configuração diferente de tempos estabelecerá diferentes linhas de corte e consequentemente alteração de pontos para o ranking global.

O intuito desde sistema é de proporcionar que no ranking global os participantes mais regulares e que percorram mais rotas sejam beneficiados. A Gravosfera pretende evidenciar aventureiro/as do que propriamente super atletas, até porque não se trata de uma prova, evento ou corrida. Na teoria, os melhores classificados do ranking, no final de Outubro, serão os que conciliarem performance e abrangência de rotas. Estas estão classificadas em 5 níveis de dificuldade. Quanto maior a dificuldade, maior o número de pontos disponíveis (vê aqui a tabela de pontos). 

WAITING LIST gravosfera

O registo na Gravosfera está, neste momento, suspenso. As 100 vagas delineadas para a edição deste ano foram preenchidas. O presente formulário dá acesso à 'waiting list' e serás contactado para registo se eventualmente abrirem novas vagas.




















Q&A: Registo e rotas

Qual é o custo do registo na Gravosfera?

O registo e participação na Gravosfera são gratuitos. O projeto não tem fins lucrativos nesta primeira edição. A intenção é de promover e consolidar o projeto em 2022. No entanto, importa assinalar que grátis não significa rasca e que não mereça respeito. Por detrás das rotas e da informação publicada, há horas de esforço e de dedicação da Finisterra e dos parceiros. É uma atividade divertida, mas que envolve o reconhecimento total do terreno (incluindo muitos KM de troços que foram excluídos por não satisfazerem os nossos princípios), assim como a manutenção das páginas/rankings, apoio administrativo e informativo, gestão de colaborações, etc.

Como posso aceder aos ficheiros GPX das rotas?

As rotas estão disponíveis na página Komoot da Finisterra, sendo o download possível aos utilizadores. No entanto, através do registo na Gravosfera, os ficheiros serão faseada e gratuitamente facultados. Tens presente os videojogos de carros em que à medida que completavas as provas tinhas acesso a novos circuitos? O mecanismo é semelhante. No momento do registo terás a oportunidade de escolher duas rotas. Ao completares uma delas, terás oportunidade de escolher mais duas e assim sucessivamente até teres acesso ilimitado.

Posso percorrer as rotas da Gravosfera sem me registar?

Sim, no sentido em que (felizmente) vivemos num país livre e que o território das rotas é de livre acesso. É possível visualizar os troços das rotas no site e se fores utilizador pagante do Komoot podes, inclusive, descarregá-las sem impedimentos. Ninguém estará a controlar se pedinchas os ficheiros GPX a um amigo que se tenha registado ou que seja Premium. No entanto, se reconheces valor neste projeto (que é o caso se estiveres a procurar percorrer uma rota), o registo é a melhor forma de sustentares o desenvolvimento da Gravosfera. Ganhando visibilidade, teremos mais condições para estabelecer parcerias, assegurar a manutenção e aperfeiçoamento dos percursos, assim como de introduzir novas rotas. É win-win. Para além disso, o registo na Gravosfera dará acesso a vários privilégios: dorsal e diplomas virtuais, gpx das rotas, inscrição nas social rides, newsletter, entre outros.

Posso iniciar/terminar a rota em qualquer ponto do percurso?

Sim. No entanto, para cada rota estabelecemos um ou dois pontos aconselháveis para partida/chegada que tendem a coincidir com uma vila com oferta de alojamento ou com/próxima de estacão ferroviária. Idealmente, para fins de maior grau de comparação das experiências e performances, as partidas seriam todas do mesmo ponto. No entanto, estamos cientes que em alguns casos, em função do local de residência, é injusto forçar deslocações desnecessárias. Quem iniciar a aventura em pontos alternativos, deverá ter o cuidado de recarregar a rota ao passar pelos pontos de partida/chegada 'oficiais'.  

Quantas vezes posso percorrer a mesma rota?

Não há limitação no número de vezes que podes percorrer a mesma rota. Para fins de pontuação para o ranking contará a tua melhor performance, não existindo qualquer acumulação de pontos com os restantes desempenhos na mesma rota.

Que tipo de bicicleta é recomendada e qual a largura dos pneus ideal?

As rotas da Gravosfera foram desenhadas e pensadas para bicicletas de tipologia ou configuração gravel/caminhos/ciclocross, pois asseguram um bom equilíbrio entre as vertentes off-road e estrada. Para as rotas localizadas no Centro e Norte é recomendada uma largura dos pneus de, pelo menos, 38mm. Todas as rotas foram reconhecidas com pneus de 35/38mm. No entanto, a escolha da largura dos pneus não depende só da superfície, mas também das preferências e capacidades técnicas do ciclista. O estudo prévio é uma componente importante na Gravosfera, sendo possível averiguar bastante informação via online (já damos uma ajuda com as descrições e perfil dos percursos). As rotas também podem ser percorridas com bicicletas MTB/BTT, embora as performances venham a ser desfavorecidas nas superficies pavimentadas e alcatroadas. Eventualmente, podem ser mais vantajosas - na performance e conforto - em alguns troços de rotas com perfil mais montanhoso.

Na semana passada tinha 120 pontos no ranking Gravosfera e nesta semana tenho apenas 110. Como é possível?

O ranking da Gravosfera é dinâmico e atualizado semanalmente. A atribuição de pontos por performance em cada rota é ordenada por quartis, ao dividir os resultados dos participantes em 4 partes com base nos tempos de todos os participantes em cada rota que estabelecem 3 patamares de tempos: (Q1) os 25% registos mais rápidos; (Q2) os registos que estão acima do resultado médio, mas que não se inserem nos 25% registos mais rápidos; (Q3) os registos que estão abaixo do resultado médio, mas que não se inserem nos 25% menos rápidos no total; (Q4) os 25% registos menos rápidos no total. A cada patamar é atribuída uma pontuação e o aparecimento de registos mais rápidos em determinada rota podem fazer com que desças um patamar num ranking dessa mesma rota. O ranking fecha a 30 de Outubro.

O fulano X ganhou um prémio por ser o mais rápido naquela rota e eu que 'venci' esta rota não ganhei nada...

As rotas da Gravosfera têm diferentes parceiros. Não obstante esses projetos/marcas/empresas estarem associados à prática do ciclismo e desenvolvimento da componente gravel, apresentam características diferentes (ex: há projetos que contribuíram via desenho da rota). Como tal, oferecem contributos e tipos de apoio distintos, que poderão passar pela premiação ou não. A mensagem a reter é: todos os parceiros têm um papel importante na Gravosfera e estás a beneficiar do seu apoio direta ou indiretamente. De resto, na Gravosfera a premiação e a classificação são elementos totalmente secundários. Valorizamos mais outros valores, como o impacto das experiências, a partilha e o convívio.  

gravosfera: Outras questões e comentários